Meditação: dicas práticas que trazem paz, saúde e leveza – PARTE 1


Data: 07 novembro - 2018

A vida é este turbilhão diário. Quantas vezes nos pegamos diante de uma quantidade impressionante de informações para administrar: o telefone tocando, alguém falando do seu lado, a tela do computador cheia de e-mails aguardando resposta, o alarme do celular apitando e você zapeado o instagram. Sua mente trabalha incessantemente – não apenas com demandas que estão acontecendo agora, mas com o que aconteceu no passado e com os planos para o futuro. Pensamentos vagam constantemente entre o que já aconteceu, o que está ao redor e o que ainda vem pela frente.

Além desse movimento frenético do pensar, há todas as emoções e sensações corporais associadas. Medo, raiva, tristeza, alegria, ansiedade, frio na barriga, músculos dos ombros doloridos, dor de barriga, prazer, frio, calor. Não termos consciência desse processo louco que ocorre em nós não nos livra das consequências disso na nossa saúde, nos nossos humores e em como nos relacionamos.

A meditação

E o que é meditar? Meditar é ficar em silêncio. Silêncio físico (você não fala) e silêncio emocional, você não deseja nada, você não quer beber água, não quer levantar,  não quer atender o telefone. Meditar é dizer: pára tudo! Contestar – por algum tempo – o poder do ego de orquestrar a vida. Esse ego, em uma definição muito superficial, se resume à sua personalidade no mundo, a persona, aquilo que define quem você costuma ser e como você reage a tudo que acontece, além dos seus gostos, preferencias, vontades.

 

“O ego não deseja ficar quieto. Ele acha, equivocadamente, que está tomando conta de tudo, regendo a vida. Sempre digo que o ego faz tudo errado, ele tenta resolver um problema e causa mais quatro”, diz Arly Cravo, coach relacional do canal Foco no Afeto!

Meditar não tem nada de novo — pelo contrário, técnicas são usadas há alguns milhares de anos. Os primeiros registros de práticas para treinar a mente apareceram nos Vedas, as escrituras sagradas indianas, de cerca de 2 mil a.C. Em seguida, Gautama o Buda veio popularizar sua própria definição dessas técnicas de meditação, assim como mestres do jainismo, mais uma tradição milenar indiana, e do taoísmo, desenvolvido na China antiga, de 300 a.C.

Acontece que, de uns tempos pra cá, a meditação  virou um processo cool. Tem mais gente criando e divulgando práticas que trazem os ensinamentos ancestrais só que mais em sintonia com a vida moderna, utilizando inclusive tecnologia e aplicativos diversos para ajudar.

São tantas opções de meditação incríveis por aí. Mas não vamos falar ainda neste post. Faremos uma série com mais dois posts contando um pouco mais das técnicas existentes com dicas e passo-a-passo para você aprender a meditar!

No próximo post falaremos de uma técnica que está fazendo incrível sucesso, especialmente pelos benefícios à saúde física e mental já comprovados cientificamente: o Mindfulness.

Até lá. 🙂

por Cristiane Assis

Compartilhe: